É hora de amamentar

Amamentar é um ato de amor!

Após o nascimento, uma boa amamentação garantirá um bom desenvolvimento afetivo e psíquico do bebê, refletindo em seus relacionamentos por toda a vida.

O acolhimento nos braços e o olhar da mãe para o bebê no momento da amamentação é fundamental. Ao envolver o bebê em seus braços a mãe estará proporcionando contorno a ele e isso é muito importante para que se torne um indivíduo forte e independente. É esse contorno que irá fortalecer o ego do bebê. O olhar da mãe é o primeiro canal de percepção e comunicação do bebê com o mundo. Ao amamentar a mãe deve olhar nos olhos do bebê, ele precisa do olhar da mãe e se reconhece através deste olhar. Portanto, é muito importante que a mãe esteja tranquila e focada na amamentação, pois assim transmitirá ao seu filho segurança e bem-estar. Não se deve realizar outras atividades neste momento.

Não utilize perfumes e cremes hidratantes com cheiro, pois são prejudiciais ao bebê. Ao nascer, ele está em harmonia e reconhece a mãe pelo cheiro, por isso é fundamental que a mãe também esteja em harmonia. Perfumes e outros cheiros confundem o bebê causando sérios danos à sua psique. O ideal é que o bebê conquiste o seio da mãe. Ao nascer, dê as boas-vindas ao seu filho e dê tempo ao tempo, ele irá procurar o seio da mãe naturalmente. Tudo deve acontecer de forma tranquila e harmoniosa.

Toda criança que tem boa vivência em suas fases de formação torna-se um adulto bem estruturado e melhor preparado para o mundo.

Como dar de mamar?

Procure um local tranquilo, preparado e reservado para esta finalidade. Pode ser no quarto do bebê ou em algum local da casa que tenha luz suave, boa ventilação, livre de barulhos e de aparelhos eletrônicos que possam desviar a sua atenção. Se puder providenciar uma poltrona própria para amamentação com almofadas ou apoio para os braços isso ajudará no processo, lembrando que o mais importante é encontrar conforto dentro das suas possibilidades. Cada um fazendo o melhor dentro das suas condições.

Faça a higienização dos seios recomendada pelo seu médico e utilize roupas que facilitem na hora da amamentação.

É importante observar a pega correta para amamentar, ou seja, a boca do bebê deve estar aberta como “boquinha de peixe”, a boca deve pegar grande parte da auréola do seio e não apenas o mamilo, o nariz não encosta no seio e respira livremente, as bochechas enchem quando suga o leite, os lábios devem ficar virados para fora, queixo encostado no seio e a barriga e o tronco do bebê voltados para a mãe.

No caso de gêmeos, é melhor amamentar os bebês ao mesmo tempo, mas nada impede de amamentá-los separadamente ou oferecendo o complemento da mamada para o outro bebê. Encontre o método que melhor se adapte a você. O mais importante é fazê-lo com calma, respeitando o tempo de cada um e sempre mantendo o acolhimento e o olhar para os bebês na hora das refeições.

Deixe os seus bebês mamarem sempre que quiserem e por quanto tempo for necessário. Essa é a melhor maneira de estabelecer a sua demanda de leite e também é a melhor maneira de acalmar os seus bebês. Não esqueça de alternar o lado das mamadas, por exemplo, se X mamou no lado direito e Y no lado esquerdo, na próxima mamada X deverá mamar no lado esquerdo e Y no lado direito.

Amamentar não dói! O corpo feminino foi preparado para esta função. Deixe a natureza trabalhar a seu favor. O bebê acabou de sair do lugar mais quentinho e protegido que ele poderia experimentar, que é o seu útero, então, é mais que natural que ele queira ficar no seu colo, sentindo seu cheiro e sua proteção, e normalmente encontram isso no seu seio.

A qualidade do leite materno

Não existe leite fraco! Isso é mito. Vamos de uma vez por todas eliminar esta ideia que nos acompanha por muitas gerações.

Para cada etapa e necessidade do bebê, o leite será diferente, portanto, mesmo que seu bebê chore após as mamadas, isso não significa que seu leite não está sustentando, pode ser que ele apenas queira ficar mais um tempo no seu colo, sentindo o seu carinho e o seu cheiro, onde o vínculo com a mãe é fundamental.

Quanto mais o bebê mama mais a mãe produz leite! Peito não é estoque de leite, e sim uma fábrica! Durante a gestação, a hipófise, glândula situada no cérebro, passa a fabricar um hormônio chamado prolactina. Mas a quantidade aumenta pra valer só após o parto, graças à sucção das mamadas pelo bebê. No primeiro dia a produção de leite é pequena. Esse leite é chamado de colostro, é transparente ou amarelado e é altamente nutritivo e age como uma vacina protegendo o bebê de doenças. A partir daí o leite aumenta. No caso de gêmeos, há uma maior frequência de estímulos e ocorre o ajuste na produção de leite para atender à demanda dos bebês. Por isso é possível sim amamentar gêmeos com sucesso!

Cerca de 80% do leite é produzido durante a mamada, por isso não fique assustada caso seu peito não fique mais duro e pesado como nos primeiros dias, pois após a demanda do leite ser estabelecida, o peito tende a voltar ao estado natural.

A hora do desmame

Seguindo e respeitando a harmonia da natureza, o desmame também deveria ocorrer naturalmente. É necessário que essa relação cesse para que a criança surja como sujeito e se torne mais autônoma. Porém, todas as passagens da vida de uma criança devem ser suaves e feitas na hora certa. É importante respeitar o amadurecimento de cada criança.

Por volta dos 9 meses até 12 meses, o bebê já está pronto para largar o seio na medida em que este poderá ser substituído pela fala, pela palavra e pelo olhar. O desmame libera a boca do bebê para a fala e para novas descobertas. Além disso, proporciona o correto desenvolvimento e fortalecimento da musculatura do rosto que participa no processo da fala. Porém, é muito importante que não seja substituído por mamadeiras e chupetas. O corte deve ser feito de uma vez e rápido, mas precisa ser feito com amor para o crescimento. Por isso, é importante a relação transparente e verdadeira entre a mãe e o bebê, falar a pronúncia correta das palavras e evitar gírias. Caso a criança pronuncie de forma errada, jamais o corrija de maneira ríspida. Basta repetir a frase ou a palavra correta na conversa. O pior para um ser humano é o que fica privado de sentido, ou seja, que não passou pela linguagem. Nesta fase a mãe deve conversar muito com o bebê encorajando-o. Agindo desta forma, o sofrimento será sempre simbólico.

É possível observar alguns sinais que o bebê apresenta de maturidade para o desmame, conforme abaixo:

– Apresenta menos interesse nas mamadas,
– Aceita uma variedade de outros alimentos,
– Apresenta segurança na sua relação com a mãe,
– Às vezes dorme sem mamar no peito e
– Às vezes opta por brincar com a mãe ao invés de mamar.

Agende um horário para obter maiores esclarecimentos sobre a terapia individual para bebês!

Cristina De Santis
Psicanalista e Psicoembrióloga
Celular: 11 94114-0101