ESTOU GRÁVIDA. E AGORA?

Gravidez não desejada, será?

Muitas novas mamães se questionam como foi que a gravidez ocorreu. Estavam usando métodos contraceptivos e TUDO estava no controle. Eu não esperava ficar grávida! Como pude engravidar?

É importante entrarmos em contato com o que chamamos de “desejo”. Será que essas mamães realmente não esperavam engravidar? Estamos aqui para dizer que não, elas esperavam essa gravidez. Elas podiam não ter tido a vontade de engravidar, mas o desejo de ter filhos estava bem formado.

Qual a diferença entre a vontade e o desejo? A vontade é um processo da mente consciente e o desejo é um processo da mente inconsciente. Quando a vontade não está alinhada com o desejo, não ocorre a gravidez. A facilidade de se engravidar depende do desejo e este é sempre maior que a vontade.

Gravidez surpresa não existe. Ocorreu o desejo que veio 50% da mamãe e 50% do papai. É assim que os bebês surgem. O inconsciente tem uma força enorme. Às vezes o desejo de ser mãe está bloqueado. Por isso ocorre a dificuldade de engravidar. A boa notícia é que a psicoembriologia pode ajudar neste processo!

O milagre da gravidez é o desejo inconsciente dos pais. Se a mulher não relaxa ela não engravida. Têm mulheres que adotam crianças e logo depois que adotaram engravidam. Isso porque a parte inconsciente deixa de se defender. O inconsciente relaxou.

Sendo assim queridas mamães e papais que estão lendo esse manual: não existe milagre. Existe o desejo dos pais e a ajuda da psicoembriologia, uma nova área da ciência facilitadora para essa mãe, pai e bebê que está por vir.

Ansiedade

Quando falamos da chegada de um bebê parece que a ansiedade aumenta. Como vou fazer tudo sozinha? Vou ter que amamentar, trocar as fraldas, colocar para dormir, cuidar da casa e trabalhar? Quando tem um filho, a mãe quer ser perfeita em tudo. Mas, é preciso dizer: seja perfeita até onde você pode ser. Divida as responsabilidades com outras pessoas, pois, do contrário, vai enlouquecer. Não encare a maternidade como peso.

A ansiedade é um sofrimento antecipado. Ansiedade é expectativa. É a espera de algo ruim que possa acontecer e isso dá medo. Medo da incapacidade de lidar com uma tarefa. A respiração fica ofegante e o coração bate mais rápido.

Vamos criando imagens e situações na nossa cabeça que mal vivemos ainda. Estamos no futuro e esquecemos de viver os dias presentes que também fazem parte do ciclo da nossa vida. Um bebê precisa da mamãe no presente e com os pés no chão.

A gestante ansiosa também vai achar que vai ter que comer por dois (por ela e pelo bebê), mas isso é mito. Não é porque existe um bebê na sua barriga que você precisa de mais comida. Coma por você e estará fazendo já um excelente trabalho. Os nutrientes e oxigênio necessários vão para o bebê. Deixe a natureza agir e não se preocupe com isso.

Agende um horário para obter maiores esclarecimentos sobre a terapia individual para bebês!

Cristina De Santis
Psicanalista e Psicoembrióloga
Celular: 11 94114-0101